Total de visualizações de página

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

"Deus não deixará que a Igreja afunde", afirma o PapaBento XVI



Durante seu último pronunciamento ao público antes da renúncia, o papa Bento XVI, de 85 anos, mencionou, nesta quarta-feira (27) "as águas agitadas" que marcaram os oito anos de seu pontificado e advertiu que "Deus não deixará que a Igreja afunde", diante de mais de 100 mil pessoas na Praça de São Pedro.
"Estou realmente emocionado e vejo uma Igreja viva", disse o papa, sendo ovacionado pela multidão. "O Senhor nos deu muitos dias de sol e ligeira brisa, dias nos quais a pesca foi abundante, mas também momentos nos quais as águas estiveram muito agitadas e o vento contrário, como em toda a história da Igreja e o Senhor." 
Ele voltou a afirmar que sua renúncia, anunciada em 11 de fevereiro, foi decidida "não para seu bem, mas para o bem da Igreja", e reiterou que sabe "da gravidade e da novidade" da decisão que tomou. "Amar a Igreja significa também ter a valentia de tomar decisões difíceis, tendo sempre presente o bem da Igreja, e não o de si próprio", disse, sendo aplaudido, inclusive de pé, por cardeais e bispos, além do público. “Ter coragem de fazer escolhas difíceis é ter sempre dentro de si o bem da Igreja”, acrescentou. 
Bento XVI, justificou a decisão de renunciar, alegando que suas “forças tinham diminuído”, nos últimos meses. Também disse que um papa nunca “está sozinho” e agradeceu a cada um que o apoiou, nos oito anos de pontificado. Segundo Bento XVI, sua atitude foi consciente e baseada na coragem de tomar “decisões difíceis”. 
O Pontífice afirmou que "não vai abandonar a Cruz" e que, pela oração, vai continuar a serviço da Igreja. "Minha decisão de renunciar ao ministério petrino não revoga a decisão que tomei em 19 de abril de 2006 (ao ser eleito Papa)", disse. "Não abandono a cruz, sigo de uma nova maneira com o Senhor Crucificado, sigo a seu serviço no recinto de São Pedro", completou.
Bento XVI também pediu que os fiéis orem pelos cardeais que, após a renúncia, terão de eleger seu sucessor, em uma tarefa que ele considera difícil. "Orem pelo meu sucessor! Que Deus os acompanhe",disse o papa.
Ao mencionar as atribuições do pontificado, Bento XVI destacou que a Igreja Católica Apostólica Romana não está representada apenas em uma pessoa, no papa, mas pertence a Deus. “Sempre soube que o barco da Igreja não é meu, não é nosso, é Dele [de Deus]”, disse.
O papa lembrou que, quando foi eleito, em 19 de abril de 2005, sentiu “um peso sobre os ombros”, mas pediu luz a Deus. “Aceitei e sempre tive a certeza de que Ele me acompanhou. [Na ocasião], disse: 'Senhor, por que me pedes isso? É um peso grande sobre os meus ombros, aceitarei apesar de todas as minha fraquezas'”, disse Bento XVI, na celebração.
Ao analisar a vida no pontificado, Bento XVI disse que um papa nunca está sozinho. “O papa pertence a todos”, ressaltou. “Um papa não está sozinho no barco de Pedro, mesmo que seja sua primeira responsabilidade. Eu nunca me senti sozinho.” 
Bento XVI lembrou que um cardeal, ao ser escolhido papa, perde sua privacidade e disse que, ao renunciar, ele não voltará à vida que mantinha antes do pontificado. “Quando se está empenhado é para sempre o Ministério Petrino [o pontificado]. Quem assume o Ministério Petrino perde a privacidade”, disse. “Recebe-se a vida quando perde-se a vida.”
Cerimônia
A cerimônia da renúncia segue nesta quinta-feira, quando Bento XVI deixará o Palácio Pontifício do Vaticano às 16h55 de Roma (12h55 de Brasília) do dia 28. Acompanhado do Secretário de Estado, o cardeal Bertone, ele irá ao heliporto do Vaticano, de onde viajará de helicóptero até Castelgandolfo, 30 km ao sul de Roma.
No heliporto da Vila Pontifícia, Bento XVI será recebido pelas autoridades civis e religiosas locais e, por volta das 17h30 locais (13h30 de Brasília), irá ao pórtico da residência de verão dos pontífices para saudar os fiéis daquela diocese.
Este será o último ato público do Papa, e o único sinal visível que anunciará que Bento XVI já não é mais papa será dado às 20h locais, quando a Guarda Suíça que presta guarda na porta do palácio de Castelgandolfo concluirá seu serviço e deixará o local. A partir desse momento, a Guarda Suíça deixará de prestar serviço a Ratzinger (que adotará o título “Papa emérito”), cuja segurança continuará garantida pela Gendarmaria Vaticana.
Findo o processo da renúncia, começa o da sucessão. No dia 1º de março, já em plena Sé Vacante - o período entre o falecimento ou renúncia de um papa até que seja eleito o sucessor -, o decano do Colégio Cardinalício, o cardeal Angelo Sodano, convocará os cardeais às reuniões preparatórias do Conclave, cuja data será decidida nos próximos dias. Visto que o dia 1º é sexta-feira, o mais provável é que a primeira congregação de cardeais aconteça no dia 4, na semana seguinte.






segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Livro conta as memórias de um exorcista

Padre Gabriele Amorth é sacerdote paulino. Antes de se tornar sacerdote, esteve na guerra, foi partidário e graduou-se em direito. Teólogo mariano, foi por muitos anos diretor da prestigiada publicação paulina Madre di Dio, até ser apontado pelo cardeal Ugo Poleti ao cargo oficial de exorcista.

Em mais de 25 anos de atividade, Amorth já realizou mais de 70 mil exorcismos, sendo considerado o exorcista mais experiente do mundo.

Marco Tosatti, vaticanista do jornal La Stampa, autor de diversos livros, entrevistou padre Amorth, publicando em seguida o livro Memorie di un esorcista (“Memórias de um exorcista”, Edizioni Piemme).

O livro é algo como um testamento espiritual, no qual Amorth narra seus embates contra o maligno: um série impressionante de histórias que testemunham a presença, mas também a libertação do mal.

ZENIT entrevistou Marco Tosatti.

- Quem é o exorcista e quem é particularmente padre Amorth?
- Tossati: Um exorcista é um sacerdote que recebeu de seu bispo – o único autorizado a realizar este tipo de intervenção – a autorização para libertar do mal pessoas afetadas por fenômenos demoníacos, como a infestação, a vexação e a possessão. Padre Gabriele é presidente honorário da associação de exorcistas, por ele fundada há vários anos, e é provavelmente o exorcista mais famoso do mundo. Completará 85 anos neste mês de abril e continua empenhado em sua batalha...

- Existe de fato o demônio?
- Tosatti: Quem é cristão não pode se privar de acreditar na existência de um espírito, que rejeitou a Deus e age de maneira ordinária e extraordinária – algo raríssimo – no mundo.

- Quem é, o que faz, como se manifesta e de que modo os exorcistas neutralizam sua influência sobre as pessoas?
- Tosatti: É um anjo caído, que lidera outros seres semelhantes a ele. Em sua ação ordinária, busca arrastar as pessoas para o pecado, a fim de conquistar suas almas. Sua ação extraordinária é certamente mais misteriosa. Com a permissão de Deus, realiza ações sobre as pessoas, podendo alcançar, em alguns casos, a possessão (que não pode, porém, tocar a alma). Os exorcistas, com as orações do ritual e pelo uso dos sacramentais, buscam libertar as vítimas de tais ações negativas.

- Por que a Igreja instituiu a figura do exorcista?
- Tosatti:
Jesus Cristo conferiu aos seus discípulos o mandato de pregar o evangelho, curar os doentes e expulsar os demônios. Por vários séculos, não houve na cristandade a figura do exorcista: qualquer cristão poderia se fazer soldado nesta batalha. E ainda hoje simples cristãos podem proferir orações de libertação. Alguns santos, como por exemplo o padre Pio, libertavam vítimas da influência demoníaca sem serem exorcistas. Cumpre salientar que nos últimos anos, em resposta a uma demanda crescente, os bispos se veem cada vez mais obrigados a nomear sacerdotes para atuarem neste tipo de trabalho pastoral.

- Quanto há de sugestão e quanto há de verdadeiro nas pessoas que acreditam estar possuídas pelo demônio?
- Tosatti:
Pelo que pude verificar em minhas pesquisas, os casos reais de possessão, vexação ou infestação são muito, muito raros. Padre Gabriel, e acredito que seus colegas também devam agir desse modo, não recebe nenhum caso que não tenha sido previamente avaliado pela medicina oficial. E, apesar dessa precaução, vê que em muitos casos não se evidencia uma origem maléfica dos distúrbios. Mas, ainda que raros, os casos de influência demoníaca autêntica existem, e são impressionantes.

- De que maneira as pessoas podem evitar as tentações do pecado e do mal?
- Tosatti:
Evitar as investidas das tentações, creio que seja impossível; mas uma vida límpida e cristã pode nos ajudar a não ceder a estas tentações.

- O demônio sempre ameaçou a Igreja. Papa Paulo VI disse certa vez: “a fumaça de Satanás adentrou na Igreja”. João Paulo II e Bento XVI denunciaram em diversas ocasiões a presença da cauda do diabo em muitas ocasiões na qual a cátedra de Pedro foi prejudicada. No presente momento, assistimos a um ataque sem precedentes ao atual Pontífice. O que pensa a respeito?
- Tosatti:
Bento XVI, como João Paulo II antes dele, indicou nos temas morais como a defesa da vida e da família a batalha central da Igreja em nossos tempos. É uma batalha contra a cultura predominante no mundo ocidental, em especial no âmbito da mídia.
É evidente a tentativa de desacreditar a Igreja e o Papa, justamente para enfraquecer o impacto de seu ensinamento. Também de modo instrumentalizado e incorreto, esperando pelos efeitos negativos na opinião pública, que frequentemente não dispõe de instrumentos ou de tempo para analisar de forma ponderada as acusações. Isso se torna ainda mais extraordinário quando constatamos que, se há alguém hoje que busque limpar a Igreja e que sempre buscou, este alguém é Joseph Ratzinger. Parece-me assim que nossa categoria não está vivendo um de seus momentos mais felizes.
Fonte: Zenit.com
P.s Se você deseja o livro escreva-me, envio por Email!

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

14 de fevereiro é o Dia Internacional da Doação de Livros

"Onde há vontade, há um Caminho"
O mundo inteiro vai comemorar, no dia 14, um dia diferente e especial. Dia de doar, trocar e compartilhar livros. Essa é a proposta do International Book Giving Day. A mobilização mundial é para incentivar o hábito da leitura, promover a sustentabilidade e questionar o consumismo.
Por isso, não se assuste se encontrar livros espalhados por sua cidade nesse dia e nos próximos. A pretensão é que a ideia perdure e se incorpore à cultura da população. As sugestões são várias:
- dar um livro para um amigo, uma criança, um parente;
- deixar um livro em uma sala de espera;
- doar livros a orfanatos, hospitais, abrigos, ongs, escolas especiais e bibliotecas comunitárias
O Uni duni Ler - Clube dos Bebês Leitores, o Cuca de Gente Miúda e a Feria de Troca de Brinquedos são parceiros do projeto no Distrito Federal. Em Brasília, a festa vai começar cedo, às 8h30 no Parque da Cidade. Quem for lá no parquinho Ana Lídia pode levar livros para doar e pegar outros em troca. Alguns vão ficar espalhados pelo parque com dedicatórias específicas do projeto para quem quiser pegar. Depois, às 15h, os organizadores vão para a Vila Planalto, onde haverá contação de histórias, música e nova troca de livros, além de livros livres propositalmente abandonados. No fim da tarde, 17h, o troca-troca vai ser na Rodoviária do Plano Piloto.
- ou pode participar do movimento pela internet. Todas as fotos e histórias pessoais compartilhadas com os organizadores do movimento ficarão disponíveis nas páginas da organização e nos blogs parceitos de 21 de fevereiro até 21 de março de 2013. Por isso, espalhe a ideia no seu blog / twitter /Facebook / flickr /Instagram / Pinterest / Google + entre outros...
- Inscreva-se na página da ação
- Twitter: seguir @bookgivingday e/ou usar #giveabook, #IBGD[local] (por exemplo, #IBGDJaguarao)
- Instagram: compartilhe os livros que irá doar, a ação em si, mostre como você está espalhando essa ideia e acompanhe o que os outros estão fazendo também, usando #giveabook
- Facebook
- E-mail: Mande fotos para amy.broadmoore@gmail.com. Ela é a idealizadora do projeto e vai compartilhar no Face e em outras redes sociais.
- Blog: escreva um post descrevendo como comemorou a data, sua experiência pessoal, uma foto etc. No dia 21 de fevereiro, ou logo depois, coloque o link do seu post no blog Kids Indoors (representante do projeto no Brasil), ou a qualquer um do blogs dos voluntários participantes:
My Book Corner, da Austrália

Playing by the Book, do Reino Unido
Mommy Labs, da Índia
Gathering Books, de Cingapura
Try Curiosity, da Hungria
Sharpread, dos Estados Unidos
My Best Friends Are Books, da Nova Zelândia
Jojoebi Designs, do Japão
Toddler Approved, dos Estados Unidos
se7en, da África do Sul
Asia in the Heart, das Filipinas
Delightful Children’s Books, dos Estados Unidos
Fonte EBC

 

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Papa se prepara para vida contemplativa no Vaticano




O Papa Bento XVI, que anunciou sua renúncia a partir de 28 de fevereiro, vai se refugiar em um mosteiro localizado no Vaticano e se dedicará à vida contemplativa, desta forma o novo pontífice coabitará a Santa Sé com o ex-Papa.
Bento XVI, de 85 anos, permanecerá por um tempo na residência papal de verão em Castel Gandolfo, perto de Roma.

Durante esse período, o mosteiro Mater Ecclesiae localizado no Vaticano - um oásis de tranquilidade com jardim e pomar - será reformado.
"Quando o Papa se aposentar, vai se mudar primeiro para Castel Gandolfo e, em seguida, após a conclusão das obras de restauração voltará para o Vaticano, para o mosteiro dos jardins do Vaticano", indicou seu porta-voz Federico Lombardi.
"Não acredito que viverá recluso", acrescentou Lombardi.
O mosteiro - o único que existe dentro do Vaticano - foi construído em 1992, sob instruções do Papa João Paulo II, que queria criar um espaço para aqueles que dedicam sua vida à contemplação.
Distribuídos em três andares, o moderno complexo dispõe de 12 quartos monásticos no andar superior, enquanto em baixo há uma cozinha, uma sala, uma biblioteca e uma capela.

As células são escassamente mobiliadas e como decoração são visíveis crucifixos e alguns quadros com cenas da vida religiosa, de acordo com o Vaticano.

Bento, amante da natureza, conhecido por seu compromisso com a proteção ambiental e caminhadas frequentes nos jardins do Vaticano, pode muito bem passar o resto de seus dias no jardim florido do mosteiro, onde são cultivadas duas variedades raras de rosas: "Beatrice d'Este" rosa e a branca "Giovanni Paolo II".

A horta frequentada por Bento contribuirá para alimentar a mesa do futuro Papa: pimentões, tomates, abobrinha e couve são cultivados no local, e muitas vezes servem para a cozinha papal, como limões e laranjas do pomar pequeno.

A poucos passos da Basílica de São Pedro, o mosteiro foi o lar de freiras beneditinas, Clarissas e da Ordem da Visitação de Santa Maria, que se mudou para outro lugar, em novembro, quando a reforma começou.

Material de divulgação da CF 2013 está disponível para emissoras de rádio e TV




No próximo dia 13 de fevereiro, quarta-feira de Cinzas, haverá o lançamento de mais uma edição da Campanha da Fraternidade (CF), com o tema será “Fraternidade e Juventude” e o lema “Eis-me aqui, envia-me!” (Is 6,8). O material para ser veiculado nas emissoras de rádio e TV de todo o país já está disponível no site da CNBB. Para baixar o material, clique aqui.

O objetivo geral da CF é acolher os jovens no contexto de mudança de época, propiciando caminhos para seu protagonismo no seguimento de Jesus Cristo, na vivência eclesial e na construção de uma sociedade fraterna, fundamentada na cultura da vida, da justiça e da paz.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Raio atinge Basílica de São Pedro no dia em que Papa anunciou renúncia




Cena foi registrada pelo fotógrafo Filippo Monteforte.
Bento XVI anunciou que vai deixar o pontificado em 28 de fevereiro.
O fotógrafo Filippo Monteforte registrou na noite desta segunda-feira (11) o momento exato em que um raio atingiu a cúpula da Basílica de São Pedro, no Vaticano, horas depois de o Papa Bento XVI anunciar que irá renunciar ao pontificado em 28 de fevereiro.