Total de visualizações de página

sábado, 30 de novembro de 2013

Invocar a João Paulo II é efetivo contra o diabo, diz famoso exorcista



O Pe. Gabriele Amorth, sacerdote exorcista da diocese de Roma (Itália) e um dos mais conhecidos do ramo, assinalou à agência ACI Prensa que o agora Beato Papa João Paulo II se converteu, nos últimos anos, em um poderoso intercessor na luta contra o demônio.

O Pe. Amorth tem 86 anos de idade e 70 000 exorcismos em seu experiência. O primeiro que disse na entrevista é que "o mundo deve saber que Satanás existe".

Em seu pequeno e singelo escritório na zona sudeste de Roma onde realizou milhares de exorcismos, o sacerdote contou que às vezes invoca a ajuda de Santos homens e mulheres, entre os quais destaca João Paulo II, beatificado pelo Papa Bento XVI no último passado 1º de maio em Roma ante um milhão e meio de fiéis.

Durante os exorcismos, contou o sacerdote à agência em espanhol do grupo ACI, a ACI Prensa, "perguntei ao demônio mais de uma vez: ‘por que João Paulo II te dá tanto medo?’ E tive duas respostas distintas, ambas interessantes".

"A primeira foi: ‘porque ele desarmou meus planos’. E acredito que com isso se refere à queda do comunismo na Rússia e na Europa do Leste. O colapso do comunismo".

"Outra resposta que o demônio me deu foi ‘porque arrebatou a muitos jovens de minhas mãos’. Há muitos jovens que, graças a João Paulo II, converteram-se. Talvez alguns já eram cristãos mas não praticantes, e logo com João Paulo II voltaram para a prática".

Ao ser perguntado sobre o intercessor mais efetivo de todos, o Pe. Amorth respondeu à ACI Prensa sem duvidar: "é obvio que a Virgem é a mais efetiva. E quando é invocada como Maria!”

"Uma vez perguntei a Satanás. ‘mas por que te assusta mais quando invoco a Nossa Senhora que quando invoco a Jesus Cristo?’ Respondeu ‘porque me humilha mais ser derrotado por uma criatura humana que ser derrotado por Ele".

O sacerdote disse também que é importante a intercessão dos que ainda vivem através da oração. Os cristãos podem rezar pela liberação de uma alma, um dos três elementos que ajudam neste processo aos que se somam a fé e o jejum.

"O Senhor deu (aos Apóstolos) uma resposta que também é muito importante para nós os exorcistas. Disse que para vencer o demônio se necessita muita fé, muita oração e muito jejum: Fé, oração e jejum".

O Pe. Amorth disse ademais que na luta contra o demônio é necessária "especialmente a fé, necessita-se muita fé. Muitas vezes também nas curas, Jesus não diz no Evangelho sou eu quem te curei. Diz, no entanto, você está curado por sua fé. Quer fé nas pessoas, uma fé forte e absoluta. Sem fé não pode fazer nada".

O sacerdote membro da Sociedade de São Paulo explicou logo à ACI Prensa que "o diabo e os demônios são muitos e têm dois poderes: os ordinários e os extraordinários".

"O poder ordinário é a capacidade de tentar o homem para distanciá-lo de Deus e levá-lo ao inferno. Esta ação se realiza contra todos os homens e as mulheres de todo lugar e religião".

Sobre os poderes extraordinários, o Pe. Amorth indicou que estes se concentram em uma pessoa específica e existem quatro tipos:

"A possessão demoníaca para a qual se requer um exorcismo, o vexame demoníaco, como o que sofreu em reiteradas ocasiões o Santo Padre Pio de Pietrelcina que era golpeado fisicamente pelo demônio; as obsessões que levam a pessoa ao desespero; e a infestação, que é quando o demônio ocupa um espaço, um animal ou inclusive um objeto".

O sacerdote alertou que estes fatos são pouco freqüentes mas estão em aumento. Também manifestou à nossa agência ACI Imprensa sua preocupação pela cada vez maior quantidade de jovens que são afetados por Satanás através das seitas, as sessões de espiritismo e as drogas. Apesar disso não se desalenta.

 “Com Jesus Cristo e Maria, Deus nos prometeu que nunca permitirá tentações maiores que nossas forças", assinalou.

Finalmente na entrevista o Pe. Amorth propôs uma breve guia a ser tomada em conta na luta contra Satanás:

"As tentações do demônio são vencidas sobretudo evitando as ocasiões, porque o demônio sempre procura nossos pontos mais fracos. E logo, com a oração. Nós os cristãos temos uma vantagem porque temos a Palavra de Deus, temos a oração e podemos rezar ao Senhor", concluiu.
                                                                                         




"Onde há vontade, há um Caminho"

domingo, 17 de novembro de 2013

'Misericordina', a receita do Papa Francisco





Cidade do Vaticano (RV) – Após a oração mariana do Angelus, o Papa Francisco saudou os peregrinos presentes provenientes de diversas partes da Itália e do mundo, mas em especial, a comunidade etíope que festeja São Miguel.

Após, recordou o “Dia das vítimas da estrada”, celebrado neste domingo, assegurando sua oração e “encorajando a prosseguir no empenho da prevenção”, ressaltando que “a prudência e o respeito às normas são a primeira forma de tutela de si mesmo e dos outros”.

Ao final do tradicional encontro dominical na Praça São Pedro, o Papa Francisco recomendou um “remédio espiritual” chamado “Misericordina”, que seria distribuído por voluntários aos presentes, dizendo, em tom de brincadeira: “Alguém pode perguntar: o Papa é um farmacêutico agora?”.

A bem da verdade, este ‘remédio espiritual’ nada mais é do que uma pequena caixa lembrando uma caixa de remédio, contendo no seu interior uma imagem de Jesus da Misericórdia, um terço com as 59 contas, acompanhado de uma ‘bula’ com ‘prescrições’ e posologia, como por exemplo, procurar um local silencioso e ajoelhar-se diante de uma imagem de Jesus da Misericórdia onde está escrito “Jesus, eu confio em ti”. No verso da 'bula', algumas passagens do Diário de Madre Faustina kowalska.
O Papa observou que com aquele terço poderia ser rezado o Terço da Misericórdia, “ajuda espiritual para a nossa alma, para nossa vida e para divulgar em todo lugar o amor, o perdão e a fraternidade”. E insistiu: “Não esqueçam de pegá-la, porque faz bem, eh? Faz bem ao coração, à alma e para toda a vida”.

A distribuição deste 'remédio espiritual' foi uma iniciativa do Elemosineiro Pontifício, Dom Konrad Krajawski, a partir de uma Idéia nascida na Polônia. Foram confecionados milhares de 'kits' em quatro línguas: italiano, espanol, ingês e polonês. (JE)


do site da Rádio Vaticano





 

"Onde há vontade, há um Caminho"

terça-feira, 12 de novembro de 2013

O alerta de Nossa Senhora para o Brasil





 
A Mãe do Senhor, sob o título de Nossa Senhora das Graças, visitou o Brasil no ano de 1930, aparecendo para duas jovenzinhas num sítio no interior do Recife. Uma das videntes, a Irmã Adélia, faleceu no dia 13 de outubro p.p., contudo, a mensagem a ela transmitida pela Virgem Santíssima continua atual e oportuna.

Em perfeita consonância com as suas demais aparições, a Senhora das Graças preveniu as jovens de que três castigos se abateriam sobre o Brasil e que o país seria tomado pelo comunismo. Ora, a situação da sociedade brasileira não deixa margem para dúvida de que a Senhora estava certa. O país está cada mais mergulhado no ideal socialista e no marxismo cultural.

Felizmente, além de alertar para o perigo, a Virgem Santíssima ofereceu também o remédio: oração e penitência. Portanto, que todos A obedeçam intensificando as súplicas e os atos de reparação para evitar que a chaga do comunismo se abata definitivamente nesta Terra de Santa Cruz.

Nossa Senhora das Graças, rogai por nós.

 

"Onde há vontade, há um Caminho"

domingo, 10 de novembro de 2013

Como portar-se na Igreja?









Por Dom Henrique Soares da Costa.

Caro Amigo de Facebook, deseja portar-se na Igreja como verdadeiro católico?

Ao entrar, observe se há a pia de água benta. Se houver, persigne-se com ela, recordando o seu Batismo, pelo qual você, marcado para sempre pela cruz do Redentor, entrou na Igreja. Entrar na igreja-casa deve sempre nos recordar a graça de quando entramos na Igreja-Povo de Deus Pai, Corpo de Cristo e Templo do Espírito!

Depois, vá até o seu lugar. Antes de entrar na fileira dos bancos, faça a genuflexão ao Santíssimo Sacramento, se Ele estiver à vista: dobre até o solo seu joelho direito. Os católicos orientais em geral rezam de pé para recordarem que são humanidade nova e gloriosa em Cristo; rezam, pois, de pé, numa posição gloriosa. Belíssimo! Nós, católicos latinos, ajoelhamo-os em várias ocasiões, como ato de humildade ante o Senhor e, sobretudo, recordando o senhorio de Cristo Jesus, diante de Quem deve dobrar-se todo joelho no céu, na terra e nos abismos. Assim, recordamos também que ainda não somos plenamente glorificados, ainda estamos a caminho! Belíssimo também!

Depois, já no seu lugar, ajoelhe-se e reze; derrame seu coração ante o Senhor em louvor, adoração e amoroso silêncio. Se não estiver inspirado, basta saudar o Santíssimo Sacramento, rezar o Pai-nosso, um Glória ao Pai, uma Ave-Maria... Somente depois sente-se e, calma e silenciosamente, pensando nas coisas de Deus, nas coisas da vida e nas coisas do céu, espere o início da santa Liturgia!

Se necessitar realmente falar com seu vizinho, faça-o com voz muito baixa e com discrição. É importante preservar o ambiente de sacralidade, respeito e religioso silêncio: "O lugar em que pisas é santo"; foi especialmente consagrado a Deus!

É assim que um verdadeiro católico, consciente e educado na fé, se porta!

 


"Onde há vontade, há um Caminho"

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

O dia em que Nossa Senhora me salvou da morte




Foi no dia 17 de outubro de 1994, uma segunda-feira. Eu tinha terminado de dar aulas na Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá, SP, UNESP, e tomei a Via Dutra em direção a Lorena. Uma carreta tombou e atravessou na pista na minha frente e o trânsito parou. Um caminhão carregado de ladrilhos, que vinha atrás de mim, não conseguiu parar, estava chovendo, bateu com tanta força no meu carro, por trás, que o meu banco quebrou e fiquei deitado no carro. Em seguida, o carro girou 180º e ele me pegou pela frente. Naquele instante eu vi o adesivo de Nossa Senhora que estava no vidro da frente do carro, entre o caminhão e eu. Clamei por três vezes a Nossa Senhora Aparecida. Depois de um estrondo meu carro foi jogado no acostamento. Perda total do veículo como se pode ver na foto; era um gol 1994, que não tinha seguro. Eram seis horas da tarde e eu estava rezando o Terço enquanto dirigia, com um tercinho branco que tinha ganhado no domingo, no final de um Maranathá de jovens. O carro se acabou, mas nada, nada, ocorreu comigo, um verdadeiro milagre.
Uma semana antes eu tinha acabado de escrever o livro A MULHER DO APOCALIPSE, mostrando as glórias da Virgem Maria; depois de ter feito a minha Consagração a ela pelo método de São Luiz de Montfort.
Um pouco antes do acidente eu tinha ganhado um adesivo de Nossa Senhora e colocado no vidro da frente do carro. Quando os policiais conseguiram me tirar do carro todo amassado, um deles me perguntou: “Como você está vivo?”. Eu lhe mostrei o tercinho branco em minha mão.
Meu carro não tinha seguro, mas o caminhão tinha seguro contra terceiros, e sem qualquer dificuldade o motorista do caminhão se prontificou a solicitar o seguro; recebi um novo carro, 0 km, gol 1994, azul; nele eu coloquei dois adesivos, um na frente e outro atrás. Senti que o Mal queria me liquidar naquela hora, mas a Virgem Bendita me protegeu. Como disse São João Vianney: “ele não conseguiu pegar o pássaro mas destruiu a gaiola”. Quando contei ao Padre Jonas Abib, ele me disse: ”Deus te deu uma sobrevida para você trabalhar para ele”.
Felipe Aquino.

 

"Onde há vontade, há um Caminho"